quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Não é preciso muito;

É certo que não sou poeta, mas isso não é tudo para se falar de amor. Minha vida não é tão certa, mas é assim que sou feliz. Quando o mundo estava aberto pra me engolir, foi a esperança que me salvou. A solidão foi meu acalento e meu alimento. Não sei coisa alguma sobre o que é ser/ter tudo, contudo, sorrio. Meus lábios são puro céu aberto e meus braços abraçam sempre que quiser. E é tão bom se sentir assim, completa sem grandes alugueis.

6 comentários:

  1. ficou ótimo seu novo layout. gostei dessas contradições que usou pra dizer quem é

    ResponderExcluir
  2. eu digo que você tá certa, você é você, com seus acentos e interrogações, e tá muito bem assim.

    =)

    ResponderExcluir
  3. poetas também ( e até de certa forma,mais que os demais) sofrem.

    Nem tudo são flores

    daí surge uma inspiração boa
    que vem dessa nostalgia toda...

    adoro isso

    bj bj flor o/

    ResponderExcluir
  4. Obrigada flor C:
    fico feliz de teres gostado ! o/

    bj bj

    ResponderExcluir
  5. Heeey, Nara...
    Tô seguindo aqui o/
    Gostei do texto (:
    beeijos.

    ResponderExcluir

Diga-me você...